Palácio da Gandarinha em Sintra

A História do Palácio da Gandarinha em Sintra

Gandarinha em Sintra – A História do Palácio que um dia queria ser Hotel.

A primeira referência que encontrei relativo ao local onde está localizado o Palácio da Gandarinha em Sintra é na planta do Real Paço e da Villa de Cintra levantada pelo capitão, engenheiro José António de Abreu em maio de 1850.

Na mesma planta refere que o local onde actualmente esta localizado o Palácio pertencia ao Exmo. Conde de Lavradio. É possível referir que esta mesma propriedade tem um grande arvoredo e está localizado entre o Caminho para Santa Maria e o local da Cruz da Pedra junto da fonte da Sabuga.

No Livro – Guia de Portugal: Generalidades Lisboa e arredores que serviu de consulta, é referido o seguinte: “... Em baixo o jardim da Casa dos Penedos; para lá da pequena fita da estrada, o parque do conde de Valenças, à direita o arvoredo da Gandarinha.”

Com uma pesquisa mais aprofundada observamos que em 1850 data da planta, não existe qualquer edificado no local da Gandarinha em Sintra.

Gandarinha em Sintra 2

Conde do Lavradio

Não se sabe ao certo quem foi este conde do Lavradio, se D.Francisco de Almeida Portugal 2º Conde de Lavradio, nasceu em 1796 e faleceu em 1870 ou o D. Salvador de Almeida Correia de Sá 3ª Conde, nascido em 1854, falecido em 1903.

O que se sabe é que o 2ª conde do Lavradio casou no dia 10 de Julho de 1840 com D. Joaquina José de Melo Silva César e Menezes e que na sequência do decreto liberal que encerrou os conventos e mosteiros, comprou o Convento de Santa Ana do Carmo de Colares, transformado em quinta e casa de habitação privada em 1835.

Daqui até 1888 nada se sabe, não se sabe como a propriedade passou do Conde de Lavradio para a pertença de Sebastião Pinto Leite.

O Hotel da Gandarinha

No local da Gandarinha em Sintra sabe-se é que em 1888 – “inclui a intenção do proprietário, o Visconde de Gandarinha, mais tarde, também Conde da Penha Longa, de construir, com o projeto arquitetónico em vigor, um hotel”

No Livro Cintra Pinturesca de 1908 refere que: “… A entrada da villa… é no sítio da Cruz de Pedra, também conhecido por Meia Laranja, mal se passa o Arrabalde, e onde annos depois o Visconde de Gandarinha, mais tarde Conde de Penha Longa, mandou construir um grande predio, destinado a ser alugado para um hotel e que até hoje nunca foi habitado. Este edifício tambem não foi concluído, pois que lhe falta, do lado de cima, um corpo lateral egual ao opposto, que lhe daria capacidade para um grandioso hotel, se porventura o rico e emprehendedor titular não tem desistido da sua tentativa “.

Em 1905, como nem a casa tinha sido habitada, nem o hotel funcionava, parece que devido ao abandono da tentativa do Visconde, falecido em 1892, o edifício foi doado a uma instituição católica pela sua esposa, Clementina Libânia Pinto Leite a Viscondessa da Gandarinha.

E qual terá sido essa instituição Católica? Olivia Guerra dá-nos a resposta no seu livro Roteiro Lirico de Sintra :

“… que nunca concluiu, acabado mais tarde pelo visconde de Gandarinha e conde de Penha Longa, no qual, depois de ter sido colégio dirigido por irmãs Dorotéas, está instalada hoje uma belíssima escola de formação de criadas de servir sob a direcção da Sra LIdia liamos Lopes da Silva.”

A Escola Profissional Doméstica

No dia 23 outubro de 1937 com a presença de várias figuras do Estado, é a inauguração da Escola Profissional Doméstica, pertencente da Associação Católica Internacional para Obras de Proteção às Raparigas, no Palácio da Gandarinha em Sintra. Esta escola continuou ininterruptamente a funcionar até ao ano de 1974 quando foi encerrada.

Segundo testemunhos da época aprendia-se a cozinhar, a realizar trabalhos manuais como tapetes de Arraiolos, costura e alfaiate. “Assistíamos a concertos de música clássica no atual teatro Olga Cadaval, íamos ver hóquei em patins, e no verão íamos de elétrico para a Praia das Maçãs.”

Por fim sabe-se que em 1997 o terreno da Gandarinha em Sintra foi vendido a Jorge Manuel Jacinto Barra

Sebastião Pinto Leite – O Conde da Penha Longa

Sebastião Pinto Leite nasceu em 1815 e faleceu a 25 agosto de 1892. Era um grande e abastado proprietário, senhor duma imponente Quinta e Palácio em Gandarinha, no Concelho de Oliveira de Azeméis, do Palacete Pinto Leite, no Porto, e da histórica Quinta da Penha Longa, em Sintra, onde estivera estabelecido um Convento Jerónimo, é arrematada pelo próprio em 1873 que a transforma numa exploração agrícola.

A 18 de dezembro de 1855 casou com a sua sobrinha paterna Clementina Libânia Pinto Leite 1840-1921. O título de 1.º Visconde da Gandarinha foi-lhe concedido por Carta de D. Luís I de Portugal de 30 de janeiro de 1879. Foi elevado à Grandeza, como 1.º Conde de Penha Longa, por Carta de D. Luís I de Portugal de 4 de março de 1886.

Clementina Libânia Pinto Leite a condessa da Penha Longa foi fundadora da Fundação Condessa de Penha Longa- instituição particular de solidariedade social que é a sucessora do Asilo de Gandarinha, instituição particular de assistência, fundado pelo então visconde no ano de 1876.

Por não haver descendentes, fez Testamento, a 1 de janeiro de 1886, instituindo usufrutuário do remanescente dos seus bens o seu sobrinho paterno José Pinto Leite.

Não conseguimos descobrir mais nada acerca da história do Palácio da Gandarinha em Sintra. Sabemos que a vontade do Conde ainda não se concretizou. Entretanto, mandámos rezar um Pai-Nosso e uma Avé-Maria a ver se se acaba com os atentados cometidos ali naquele local que outrora foi belo.

Gandarinha em Sintra 8
Scroll to Top